quarta-feira, 28 de março de 2007

Lúcifer, o anjo caído

Como caíste do céu
astro brilhante, filho da aurora?
Como foste arrojado por terra,
tu que vencias as nações?
E tu dizias em teu coração:
“Subirei até o céu,
acima das estrelas de Deus
estabelecerei o meu trono.
Assentar-me-ei no monte da Assembléia,
nos confins do norte.
Subirei no cume das nuvens,
serei semelhante ao Altíssimo”.
Mas serás lançado no Xeol,
nas profundezas do abismo.

(Isaías 14, 12-15)

Lúcifer, ‘o portador de luz’, foi o mais perfeito e o mais esplendoroso dos anjos que Deus criou para Sua glória. Mas não conseguiu continuar a desempenhar esse papel, e desejou governar os céus no lugar de Deus e se tornar a autoridade suprema. Cometeu o pecado do orgulho e tentou se apropriar daquilo que não lhe pertencia.

“(...) Tu eras um modelo perfeito, cheio de sabedoria, a perfeita beleza. No Éden, no jardim de Deus, te achavas. De todo o tipo de pedras preciosas era o teu manto: cornalina, topázio, berilo, crisólito, ônix, jaspe, safira, granada e esmeralda. Teus engastes foram trabalhados em ouro, preparados no dia em que foste criado. Com um querubim protetor eu te havia colocado (...) Com teu intenso comércio, encheste teu interior de violência e pecaste (...) Teu coração se tornou soberbo por causa de tua beleza, corrompeste tua sabedoria por causa de teu esplendor (...)” (EzequieI28, 12-17).

Dark Realms
Postar um comentário